Polícias pelo mundo – Capítulo 6: A polícia inglesa

por | 06/07/2020 - 8:06 AM | Notícias em Destaque

Para compreendermos melhor o funcionamento da polícia inglesa é necessário que se entenda sobre a divisão territorial e política do Reino Unido.

O Reino Unido, como o próprio nome já sugere, é uma união política estabelecida entre quatro países, sendo eles: Inglaterra, Escócia, País de Gales (ilha da Grã-Bretanha) e pela Irlanda do Norte, localizada na ilha da Irlanda.

Essas nações estão estritamente interligadas. Situado ao noroeste da Europa, a Inglaterra é um dos países que constitui o Reino Unido. Seu sistema de político é a monarquia e a Inglaterra é governada diretamente pelo parlamento do próprio Reino Unido, cuja sede fica em Londres, que é a capital inglesa.

Essa ligação próxima e essa maneira de organização política faz com que muitas pessoas  se confundam. De qualquer forma, o Reino Unido possui, no total 52 polícias, cada uma com seu comando próprio, atuando em uma área específica do território.

A maioria dessas polícias está concentrada na Inglaterra e no País de Gales, totalizando 38 corporações que se distribuem por regiões. Os comandos respondem ao Ministério do Interior.

Assim, cada instituição conta com seu próprio departamento de investigações criminais.

Isto dito, quando concentramos os estudos na Inglaterra, observamos que a polícia inglesa atua por demarcação territorial específica, cuja delimitação é desenvolvida pela própria instituição.

A polícia inglesa, como um todo, funciona muito bem e tem imensa aceitação social. São profissionais admirados por todo os outros países do mundo, que utilizam a tecnologia como principal aliada para fornecer segurança à população.

Além disso, o sucesso das atividades de policiamento depende de uma estreita ligação entre o público e a polícia. O uso mínimo de força e o mínimo de interferência com o cidadão são as partes mais importantes do vínculo de confiança e legitimidade gerado com a população.

As polícias inglesas, apesar de distintas e de atuarem cada uma em seu território específico, utilizam, em sua totalidade, fardamento e viatura caracterizada. Além disso, se organizam de maneira a traduzir características militares que vão além da estética, aparecendo também na disciplina e na estruturação.

Um dos exemplos que pode ser explorado é a famosa Polícia Metropolitana de Londres (Metropolitan Police), uma força de segurança pública conhecida mundialmente. Considerada a primeira polícia moderna em um país com governo representativo, caracterizada como uma polícia preventiva.

A capital da Inglaterra, além de um grande centro político e marítimo, consolidou-se como uma potência mundial. Assim, uma metrópole tão agitada, cercada de crimes e vícios, precisava de uma força policial.

A Polícia Metropolitana de Londres atua em toda a grande Londres, com exceção da região da Square Mile, área onde a City of London Police atua. A única diferença relevante entra ambas é que a Polícia da Cidade de Londres faz o policiamento na área mais centralizada, mudando apenas o território onde devem servir.

A Polícia Metropolitana de Londres surgiu em 1828. Sua sede fica no prédio da Scotland Yard, que é conhecido literalmente por ser um “quartel”.

Seus policiais são comumente reconhecidos pelo uso dos chapéus arredondados e das “patentes” carregadas sob os ombros.

Como mais um exemplo de polícia de ciclo completo, a Polícia Metropolitana tem sua estrutura pautada em subdivisões internas para melhor distribuição do trabalho. As principais seções são a Polícia Circunstancial, responsável pelo policiamento uniformizado e diuturno; a Polícia Especializada, encarregada das investigações mais graves; a Central de Operações, responsável pelo suporte operacional e a Diretoria de Operações Especiais, que cuida dos serviços de operações especiais e protege as autoridades nacionais e estrangeiras.

O Chefe da Polícia Metropolitana de Londres é o Comissário. O atual comandante ficou famoso por normatizar o não uso de armas pelos policiais, que somente poderão recorrer à este recurso nos casos mais graves.

A maioria dos policiais que fazem vigia pela cidade andam apenas com spray de pimenta,  cassetete e, em alguns casos, arma de choque. Somente em caso de necessidade, é solicitado reforço ao grupo de profissionais autorizados a utilizar pistolas ou metralhadoras.

Ao longo da história, a Polícia Metropolitana se tornou símbolo de proteção aos cidadãos e pessoas públicas pelas ruas da cidade, através de diferentes estratégias, como as patrulhas comunitárias.

Atualmente, essa força conta com um moderno sistema de vigilância e monitoramento por vídeo que abarca os quatro cantos da capital britânica. A Polícia Metropolitana de Londres é considerada uma das mais eficientes forças policiais do mundo.

0 comentários